pelo fim das plaquinhas de fuga

uma das ironias mais loucas do mundo é mulher machista. aquele rebosteio do “we don’t need feminism” me dá um nó no estômago, mas a gente sabe que não precisa ir tão longe, porque o machismo impregnado, aquela coisa que “ah, é como as coisas são, sabe”, é do pior tipo e tá correndo solto por aí.

porque sabe, eu trabalho com eventos e eu sigo muitos blogs de casamento e cada vez que eu vejo isso, eu tenho vontade de voltar pro útero e nunca mais sair:

me. mata. agora.

babaca, além de ser feio pra porra.

eu posso ser muito louca  (jamais neguei), mas eu achei que esse negócio de casamento era uma coisa que você faz de comum acordo. eu não entendo por que as pessoas ainda fazem questão de fazer essa distinção de “toda mulher sonha em casar” e “todo homem quer fugir de compromisso”. não consigo entender como, em pleno 2014, ainda tem gente que acha graça em piadinha de “ai, foge aí amigão” ou “hummmm, agora a patroa vai mandar tudo em casa hein” e em fazer topo de bolo com noiva segurando o noivo pela gravata (acho que vou fazer uma cláusula que só faço bolo de casamento depois de aprovar o topinho, porque QUE MEDO disso).

e sabe, puta que o pariu, pelo nível dessas plaquinhas, imagino que quem escolheu foi a noiva, que planejou o casamento inteiro sem o noivo dar um pitaco porque “ai, sabe como é, né, homem não liga pra essas coisas”. e bom, pode ser que eu viva numa bolha, mas eu acho que casar com uma pessoa que não se importa com isso* é uma belíssima receita pra dar merda, né não?

me tira desse mundo

me tira desse mundo

* você pode querer casar na igreja e no civil e convidar quinhentas pessoas ou não querer casar e só se juntar ou fazer uma festinha íntima para os amigos e família ou fazer uma cerimônia budista ou achar que se juntar é coisa de gente antiquada ou querer viver a vida inteira sozinha com 38 gatos e ser feliz assim. eu só acho que é mais saudável que a pessoa com quem você tá se juntando concorde com a decisão e seja feliz fazendo junto, independente do que seja. e que você não use essas plaquinhas horrendas.

Anúncios

12 pensamentos sobre “pelo fim das plaquinhas de fuga

  1. Contamos pra algumas pessoas que havíamos noivado.
    Todo mundo me parabenizou, NINGUÉM parabenizou o meu noivo.
    Ele ficou arrasado. Chegou comigo no fim do dia e disse: “amor, será que eles pensam que eu tô casando por obrigação? é q ninguém me disse ‘parabéns’…” Aí quem ficou arrasada fui eu…

    Machismo babaca onde o cara nem recebe parabéns por ter decidido se casar, pq né, macho não se casa. ¬¬

    Inclusive, deveria ter um “play” invés de um “game over” nessas camisetas, até por que eu duvido muito que alguma garota queira mesmo se casar com um cara que esteja triste nesse dia.

    • putz, que dureza! acho um absurdo isso, até porque é uma escrotice com as mulheres (que supostamente forçam seus namorados/noivos/maridos a fazer algo que não querem) e até com os homens (que aparentemente são seres tão desprovidos de vontade própria que se subjugam a isso sem nem questionar). tenso. aliás, parabéns pra você E pro seu noivo 🙂

  2. E os sapatos “Help Me” dos noivos em plena cerimônia? Porque, obviamente, como nos casamentos de festa junina, ele só está lá porque tem a arma do pai da noiva apontada para sua cabeça. Pffff…

    • Sabe, um orgulho que eu tenho é que, quando a gente tava organizando o casório, o Malk viu uma imagem desse “Help Me” e falou que achou ridículo e, quando eu vi as fotos, ele tinha escrito Very Happy na sola do sapato <3.

      • Malk melhor noivo. Mas é a verdade – não consigo entender. Por que tá casando, então? Desculpa, mas hoje em dia ninguém mais casa por obrigação, pra transar sem culpa, porque a família quer, porque a mãe mandou, porque a noiva pediu. Casa porque acha que é a hora, porque quer passar o resto da vida ao lado daquela pessoa. Então qual o sentido das piadinhas? Nenhum.

  3. Penélope, Cleópatra e eu amamos o gif! Estamos pensando em treinar nossa gata, Maria Joaquina… Quando eu me casei, não tinha estas plaquinhas idiotas, graças! Mas marido me ajudou em tudo, até pq não tivemos cerimonialista tb… Achava q é sempre assim, né, não?

    • sempre acontece de eu conversar com as pessoas/ver coisas na internet/ ouvir falar de coisas que eu acho tão impossíveis que eu tenho a impressão que eu vivo numa bolha… espero que pelo menos na maioria dos casos seja assim, né? pelo menos nos casamentos com mais chances de dar certo eu acho que é :p

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s